Logo Parimpar
Instagram Parimpar
youtube-Parimpar
Linkedin-Parimpar
Facebook-Parimpar
Editor HTML Online
   

Os astros no comando da educação. Suplemento da revista eletrônica O giz da educação, vol.5 nº. 1 (2022) ISSN 2764-0477– DOI 10.6084/m9.figshare.19536031

 

MAIO – Será o mês da RENOVAÇÃO

 

O que diz a Base Nacional Comum Curricular

 

“Estudar Geografia é uma oportunidade para compreender o mundo em que se vive, na medida em que esse componente curricular aborda as ações humanas construídas nas distintas sociedades existentes nas diversas regiões do planeta. Ao mesmo tempo, a educação geográfica contribui para a formação do conceito de identidade, expresso de diferentes formas: na compreensão perceptiva da paisagem, que ganha significado à medida que, ao observá-la, nota-se a vivência dos indivíduos e da coletividade; nas relações com os lugares vividos; nos costumes que resgatam a nossa memória social; na identidade cultural; e na consciência de que somos sujeitos da história, distintos uns dos outros e, por isso, convictos das nossas diferenças.”

 

Na prática

 

Depois do lapso temporal no qual a COVID-19 obrigou os alunos a se ausentarem das salas de aula (presencialmente), Sophia, por exemplo, aluna do 6º ano do ensino fundamental, retornou aos bancos escolares. A felicidade estampada no rosto daquela menina, não escondia a satisfação de estar ali, de alguma forma, no convívio com o universo estudantil. Só que uma semana depois, lá estava Sophia em casa novamente, porque o professorado havia deflagrado estado de greve em favor da valorização da profissão e de melhores salários. Dois meses se passaram e, frustradas as negociações grevistas, as aulas reiniciaram. Como dever de casa, Sophia se viu às voltas para obter informações acerca da guerra entre Ucrânia e Rússia, como fonte de consulta, para a produção da primeira redação do semestre. Assustada com tudo que leu, chegou à conclusão de que numa possível terceira guerra mundial, o Brasil poderia ser afetado e aí levantou a seguinte hipótese:

- Será que se eu me esconder no país da mamãe, a guerra nos atingirá? Mas qual é o país da minha mãe? E o que vem a ser um país?!!!


Na verdade, o que Sophia imaginou é que na cidade em que a mãe dela nasceu, provavelmente a guerra não a atingiria. Essa é a dúvida de toda criança, principalmente aquela que está começando a se compreender como um ser e, sobretudo, que compõe o conjunto de pessoas que habitam o planeta.

 

Solução científica

 

Milton Santos no seu livro ‘A natureza do espaço’, diz que “a configuração territorial é dada pelo conjunto formado pelos sistemas naturais existentes em um dado país ou numa dada área e pelos acréscimos que os homens superimpuseram a esses sistemas naturais. A configuração territorial não é o espaço, já que sua realidade vem de sua materialidade, enquanto o espaço reúne a materialidade e a vida que a anima.

A compreensão de espaço, tempo e paisagem passa pela história e até pela compreensão matemática de conjunto, quer ver?

Você poderá formar conjuntos geográficos descrevendo as características, conforme o exemplo:

conjunto A = bairro (ruas) 

conjunto B = cidade (ruas, bairros)

conjunto C = cidade (ruas, bairros, cidades) 

conjunto D = continente (ruas, bairros, cidades, países)

Ou ainda, utilizando o Diagrama de Venn, conforme segue:

 

maio 2022  Fonte: próprio autor, 2022

 

Eu acho que prá turma de alunos IMPACIENTES (ver MAPAS) compreender o espaço em que vivemos, considerando as dimensões geográficas, de um modo geral, funcionará bem esse modelito. Depois é só se enfronhar no universo dos conjuntos e ajudar os alunos a compreenderem o sentido de pertinência, interseção, etc.

Lembre-se de considerar, no seu planejamento, aquele aluno que tem um perfil mais ATENCIOSO e aquele que é PRÁTICO. Temos como base comportamental três tipos de perfis (IMPACIENTE, ATENCIOSO E PRÁTICO), assim fica fácil criar estratégias de ensino que auxiliem o aluno a compreender o conceito de espaço, tempo e território. Isso é renovar, isso é ser transdisciplinar!!!

 

Para mim, MADAME ZAPIM, os astros não mentem jamais! 

Educação se faz contando boas histórias!!!