Logo Parimpar
Instagram Parimpar
youtube-Parimpar
Linkedin-Parimpar
Facebook-Parimpar

O giz da educação vol.5 nº.3 (2022)
ISSN 2764-0477

Os signos de ar e as previsões zodiacais!!!


Bom dia, mas bom dia mesmo! Eu sou Madame Zorah e começa agora o seu, o meu, o nosso programa diário “Os astros no comando da educação”! Quero falar com vocês, em especial, aos ouvintes dos signos de ar: Gêmeos, Libra e Aquário. 

Vocês têm a inteligência como principal característica e diante do singular advento que acometeu o planeta, antevisto por mim, Madame Zorah, e que tem transformado as relações, vocês desempenharão um importante papel na busca por soluções que possam ser aplicadas de maneira simples e de fácil aceitação pelas pessoas. 

Não será fácil, caros ouvintes, devo adverti-los! Esse vírus é cruel e impiedoso, eu vi no mapa astrológico, e como digo sempre, os astros não mentem jamais! Porém com a capacidade de comunicação das pessoas do signo de Gêmeos, a independência dos aquarianos e o equilíbrio de Libra, as coisas se resolverão, dentro de uma possível normalidade, em um prazo razoável.

A lua entrando na décima primeira casa para os signos de ar simboliza a comunidade e a socialização. A luta por manter o equilíbrio e a qualidade de vida entre as pessoas será fundamental nesse período. Portanto, para você que pertence a qualquer um desses três signos, Gêmeos, Libra e Aquário, fique atento aos sinais. O coletivo, o trabalho conjunto e o respeito aos limites e aos espaços serão referências nas relações em que estiver envolvido de alguma forma.

Calma, muita calma nessa hora. É preciso usar a inteligência para superar as adversidades. Alguns gestores educacionais têm me questionado como farão com as crianças e adolescentes distantes da sala de aula.

Usem a inteligência! Toda escola possui uma equipe de trabalhadores dos mais variados signos.  Cada um com suas características específicas, contudo há as gerais. Com o auxílio dos astros nós, Madama Zorah e a Rádio Transmissora encontraremos uma solução para o seu problema de gestão escolar nesse momento de crise.

Envia-nos a seu pedido para a caixa postal 22.222 ou encaminha uma carta para o endereço aqui da Rádio Transmissora: Rua Transeunte, nº1, na Lagoa do Olimpo.

Queridos ouvintes da Rádio Transmissora, eu sou Madame Zorah. Estarei com vocês todos os dias, de segunda a sexta, das 7 até as 9 horas, com o programa “Os astros no comando da educação”! Espero vocês porque aqui, ‘os astros não mentem jamais’!

- Madame, Madame... os telefones da rádio não param de tocar.

- Faça uma vinheta com a seguinte chamada: “Madama Zorah vai ajudar você, prezado ouvinte, na gestão dos problemas escolares nessa difícil fase pela qual estamos passando. Envia o seu pedido de ajuda astrológica para a caixa postal 22.222 ou escreva uma carta para o endereço aqui da Rádio Transmissora. Juntos venceremos esse inimigo!” Ah! E não se esqueça de colocar como pano de fundo, uma música bem misteriosa. Isso ajuda a chamar a atenção do nosso ouvinte e, com uma piscadela Madame Zorah saiu do recinto, dizendo: 'se a metodologia não der certo, temos que orah, para não piorah!

Duas horas depois, a vinheta começou a rodar durante toda a programação da rádio.


Patiluc

“Esta é uma obra de ficção. O uso de metáforas foi a maneira encontrada para contar as vivências da autora, ao longo dos seus mais de 25 anos na área da educação. Atualmente, ela atua como Empreendedora Cultural e mantém a crença de que educação também é sinônimo de cultura.”
 

O giz da educação vol.5 nº.2 (2022)
ISSN 2764-0477

O zodíaco na educação by Madame Zorah!!!

 

- Bom dia, mas bom dia mesmo! Esse era o bordão de Madame Zorah todas as manhãs, dando início às transmissões de seu programa diário, “Os astros no comando da educação”!

- Bom dia, respondeu uma ouvinte. Sou diretora de uma escola de nível fundamental e muito me preocupou ouvi-la dizendo que ‘a educação sofreria uma transformação singular com um advento, um tanto quanto nebuloso’... O que a senhora quis dizer com isso?

- Qual é o seu nome, minha filha?

- Gertrudes, Madame, meu nome é Gertrudes e trabalho na Escola Municipal Pai Jacó, que fica na periferia da cidade. Preciso saber o que fazer com meus alunos no próximo ano.

- Que trabalho maravilhoso você desenvolve naquela região, minha querida filha. Mas vamos direto a sua pergunta, sim eu estou vendo muitas mudanças para a educação. Eu vejo isso nos astros e eles, minha filha, ‘não mentem jamais’!

Os ouvintes da rádio, evidentemente não podiam vê-la, mas espalhados por sobre a mesa de transmissão, próximo ao microfone, Madama Zorah organizava seus papéis por tema: celular; aulas remotas; personalização de conteúdo; uso de tecnologia e até sobre gamificação. Madame Zorah era mesmo um espetáculo!

E prosseguiu com sua resposta à ouvinte Gertrudes, enquanto do outro lado sinalizavam pedindo mais agilidade nas respostas:

- Minha querida filha, vejo nos astros uma nuvem escura que paira sobre o mundo, não sei precisar o que seja, mas ela trará alguma coisa que impedirá as crianças de irem às escolas. Sim, minha filha, está muito claro para mim, você, enquanto Diretora, terá que administrar uma escola sem alunos. Oriento-lhe a permitir que seus alunos utilizem o celular para facilitar-lhes a comunicação. Diga-me querida ouvinte, seu dia e mês de nascimento.

- Eu nasci no mês de maio, no dia 6, como eu devo me comportar então, caso isso ocorra.

- Ocorrerá minha filha, como disse, está bastante claro para mim. Bem, você é uma taurina, muito apegada às pequenas coisas, às regras e à terra. Não deixe que essa predileção a impeça de tomar decisões importantes. Esse será um ano de rompimento com as tradições. Fique atenta aos sinais.

- Obrigada Madame Zorah!

- Fique em paz, minha filha e lembre-se: ‘os astros não mentem jamais’é como sempre digo 'se a metodologia não der certo, temos que orah, para não piorah!'

Dia após dia Madame Zorah era demandada a fazer previsões na área da educação, sempre conjugando-as com o horóscopo do dia. Ainda que fosse convidada a palestrar nas escolas e nas empresas, Madame Zorah mantinha-se oculta. Era mais interessante permanecer-se à sombra e oferecer ao ouvinte o gosto do mistério que estampar-se nas redes sociais. E ela acertava tudo que previa!!! Dava até medo de conversar com ela, parecia que ela podia enxergar toda a sua alma.

De fato, as previsões de Madame Zorah se concretizaram. A cidade ficou em pavorosa e não demorou muito para que ela recebesse um convite imperdível, um horário na rádio da capital, a mais cobiçada de todas, a Rádio Transmissora. Era um negócio da China! 

Conhecedora dos seus direitos registrou a autoralidade de seu projeto “Os astros no comando da educação!” para replicá-lo em nível nacional, sem ter que pedir licença para ninguém. E assim o fez, ainda que devotasse muita gratidão pela oportunidade de estar na Rádio da cidade, não poderia perder aquela oportunidade. Foi um gol de placa.

- Prezados ouvintes da Rádio Transmissora, bom dia, mas bom dia mesmo! Quem vos fala é Madame Zorah. Estarei com vocês todos os dias, de segunda a sexta, das 7 até as 9 horas, com o programa “Os astros no comando da educação”! Espero vocês porque aqui, ‘os astros não mentem jamais’!

Patiluc

“Esta é uma obra de ficção. O uso de metáforas foi a maneira encontrada para contar as vivências da autora, ao longo dos seus mais de 25 anos na área da educação. Atualmente, ela atua como Empreendedora Cultural e mantém a crença de que educação também é sinônimo de cultura.”
 

O giz da educação vol.5 nº.1 (2022)
ISSN 2764-0477

Os astros não mentem jamais!!!

A astróloga Madame Zorah era bastante influente na região em que morava. Muito procurada, foi convidada para falar na grade da programação da Rádio Aurora, entre 7 e 8 horas da manhã. 

Inicialmente Madame fazia previsões zodiacais. Ela aprendeu com outro eminente astrólogo brasileiro a ser capaz de dar o recado em poucas palavras, sempre deixando aquela pontinha de dúvida, 'um quê' de necessário para manter o ouvinte assíduo nas suas vidências. 

Então para não perder tempo e manter-se na mídia Madame fazia os seus cálculos astrológicos semanais e emitia aqueles, dito por ela mesma, pressentimentos, no conta-gotas do programa diário, transmitido exceto aos finais de semana, embrulhado no horóscopo matinal.

Um sucesso tremendo! Madame Zorah tornou-se líder de audiência. E assim ficou por um bom tempo, até que um dia ela teve um daqueles ‘insights’ que só os iluminados têm (palavras dela) e previu em rede regional que a educação sofreria uma transformação singular com um advento, um tanto quanto nebuloso, mas que infelizmente ela ainda não conseguia antevir.

- Como assim, Madame Zorah? Depois do seu pronunciamento os telefones da rádio não param de tocar.

- Mas meu filho, é o que eu vejo nos astros e os astros não mentem jamais. Respondeu Madame Zorah com aquele olhar penetrante de quem sabe o que diz.

Alguns dias se passaram até que Madame Zorah recebeu a informação de que seu programa além de diário , passaria a ser ao vivo, com duas horas de duração.

- Éh, Madame, a Senhora ‘cutucou a onça com a vara curta’, agora terá que responder aos nossos ouvintes, na lata. Programa ao vivo não é para qualquer um, viu? Esta é uma oportunidade única que estamos lhe oferecendo. Nós confiamos no seu trabalho. Essa foi a fala do diretor da rádio ao comunicar Madame Zorah sobre a nova programação.

- Posso negociar? Respondeu Madame, com um sorriso escondido no cantinho da boca, sempre pintada com um vermelho encarnado.

- O que a Senhora deseja?

- Simples meu filho, 70% de aumento do meu salário, com direito a 30% de participação junto aos patrocinadores da rádio.

- Mas Madame...

- É pegar ou largar meu filho. Dizia com a serenidade dos espíritos mais elevados.

Madame Zorah não ostentava, mas possuía um título de doutora em economia, obtido 'lá nos tempos do Imperador', numa renomada universidade do país e, como ela costumava falar, nunca utilizado, porque ela não quis seguir carreira como professora universitária. Uma atividade que dava pouco retorno financeiro e muita dor de cabeça.

O diretor coçou a cabeça e ficou de conversar com sua equipe, mas diante do desfecho, Madame Zorah já havia previsto que a resposta seria afirmativa.

Dias depois:

- Eu sou Madame Zorah e estou aqui, meus filhos, para orientá-los espiritual e oferecer-lhes as melhores previsões do zodíaco.  Bom dia, mas bom dia mesmo!!! 


Patiluc

“Esta é uma obra de ficção. O uso de metáforas foi a maneira encontrada para contar as vivências da autora, ao longo dos seus mais de 25 anos na área da educação. Atualmente, ela atua como Empreendedora Cultural e mantém a crença de que educação também é sinônimo de cultura.”