Logo Parimpar
youtube-Parimpar
Linkedin-Parimpar
Facebook-Parimpar

O giz da educação vol.2 nº.4 (2021)
ISSN 2764-0477


O Qualis da educação!


Trabalho numa escola de nível superior, particular e de ensino à distância, portanto, estou habituada com as famosas ‘lives’ e meets virtuais. Lá estou como coordenadora de ensino na pós em Psicopedagogia e Neurociências. Nossas reuniões de trabalho para ‘ajustes de metas’, ‘orientações’ e ‘organização de cronogramas de atividades’, acontecem às quintas-feiras. Chamamos esses encontros de Café na Net e o mais interessante é que alguns dos participantes nunca se encontraram presencialmente.


Há exatos trinta dias o André, professor de Desenvolvimento Cognitivo, mencionou a possibilidade de criarmos um canal aonde os alunos pudessem publicar artigos científicos.


- Gostei muito da ideia, mas como andam os seus planejamentos para as turmas DC1 e DC2 ? Indaguei André, no ‘in box’ do portal da escola.


- Estou seguindo o cronograma conforme o estabelecido por você. Acho que ao final do semestre, com o apoio da Lígia, as turmas já terão os dados compilados e, de posse deles, poderão organizá-los já para a publicação.


Lígia é a professora de Metodologias Ativas e Avaliação de Aprendizagem do mesmo curso em que André é professor. Ela é bem acessível e gosta de fazer experimentações.


- Já conversou com a Lígia? Perguntei.


- Sim! Ela gostou bastante. Pediu-me para falar com você. 


- Coloca a proposta lá na ‘cloud ’ e espera eu averiguar junto ao TI . Só então bateremos o martelo, tudo bem?


- Fechado! Aguardo o seu contato. 


O André é bem engajado e rapidamente enviou a proposta com as assinaturas eletrônicas dele e da Lígia, agora eu precisaria agendar um horário com a turma da tecnologia, afim de estabelecermos o melhor ‘design’ para o periódico.


- Ô Júlio:! Você leu a proposta do André? Dá para fazer? Fiz a pergunta diretamente para o Chefe do Departamento de Tecnologia da Faculdade. Ele é do tipo ranzinza, e por conhecê-lo bem, sabia que seria preciso convencê-lo sobre a importância desse negócio, então, apresentei-lhe a proposta no formato de um pitch (rsrs). Aproveitei o canvas que o André me enviou e, com aquelas informações montei um vídeo, que ficou bem legal! Pelo menos eu, o André e a Lígia gostamos.


- Ô Amanda (é o meu nome, viu?: ), a apresentação foi interessante, mas, pelo que vi, isso terá um custo adicional bem significativo, porque o sistema que usamos, nhenhenhém, nhenhenhém, nhenhenhém - por aí foi... - Conversa com o financeiro, se eles disserem que não haverá problemas, nos reuniremos novamente. Mas pegue a assinatura deles, esse negócio de ‘contrato de boca’, já viu... nhenhenhém, nhenhenhém, nhenhenhém. Um abraço!


Putz! Contrato? O Júlio dessa vez foi curto e grosso. Mas, lá fui eu atrás do financeiro.


- Mário, posso conversar com você? Enviei uma msn para o Diretor Financeiro.


- Amanda, o Júlio já me falou sobre a sua ideia, mas nesse semestre será impossível atendê-los. Além disso, ele me disse que é muito temerário por conta do gerenciamento de dados.


- Mas ele não me falou sobre isso. 


- Pois é! Falou comigo! Então, sinto muito. Aborte essa ideia!


Quinta-feira, no Café na Net...


- André, analisando a proposta de vocês, que tal se os alunos publicassem os textos tendo vocês como cabeças de chave?


- Como assim Amanda? Questionou Lígia.


- Conversei com a editora da Revista ‘Um papo legal ’, aqui mesmo, da Faculdade de Pedagogia, e ela topou abrir um espaço mensal para publicações da pós, o que acham? Para isso, vocês deverão referendar a publicação dos alunos, encabeçando a relação de autores em cada um dos artigos que, após avaliados, poderiam ser publicados. 


- André, mas qual é a relevância desse periódico, questionou Lígia. E teríamos que assinar todos os artigos? Isso não é ético!

De pronto respondi.


- Não entendi? Vocês referendariam somente os textos produzidos pelos seus alunos e se submeteriam, evidentemente, a análise dos avaliadores do periódico. Além disso, o Qualis desse periódico é B5. Ah! Eu tive que ser dura na resposta, mas foi preciso!


- Sim! Compreendemos. Responderam André e Lígia quase que imediatamente. Podemos responder na próxima quinta-feira?


No Café na Net seguinte, André e Lígia disseram que prefeririam deixar o projeto para o próximo curso.

Patiluc

“Esta é uma obra de ficção. As metáforas foi a maneira encontrada para contar as vivências da autora, ao longo dos seus mais de 25 anos na área da educação. Atualmente, ela atua como Empreendedora Cultural e mantém a crença de que educação também é sinônimo de cultura.