Image
youtube-Parimpar
Linkedin-Parimpar
Facebook-Parimpar

Curtinhas:  v.1 n.4 (2021)

ISSN 2764-0280

 Um conto de fadas ‘prá’ lá de Marrakesh

Era uma vez uma menina de nome Rayssa. Destemida, bem pequenina ganhou um skate para brincar. E era assim, vestida de fada, que Rayssa pegava o seu possante e desfilava pelas ruas de Imperatriz, lá no Maranhão.

Ah! Mas que chances teria a fadinha de transformar a sua diversão em profissão? Acredita que no dia da independência do Brasil, há bem pouco tempo, a fadinha voou de ‘heelflip’ para a Califórnia, Estados Unidos, pelas redes sociais, num clipe gravado por sua mãe, fã nº1...ou seria a nº2, já que o pai foi quem a presenteou com o skate? Ah! Tanto faz... Acontece que bastou um comentário... uma só resposta de Tony Hawk para Rayssa se tornar ‘amiga para sempre’ de um dos maiores ídolos do skatismo atual. É mole?! E você acha que o conto de fadas parou por aí?! Sucesso no campeonato mundial de Londres em 2019, a Fadinha bateu as asas rumo a Tóquio, em 2021.

Fácil? Quem disse isso?! Eh! O trabalho duro e o esforço coroaram o skate como esporte olímpico, e, pela primeira vez, na terra do sol nascente, os ‘truta prancharam’ no Olimpo. Foi lá que Rayssa mais uma vez brilhou e passou a fazer parte da história do esporte brasileiro.

Vai Fadinha! Seja inspiração para outros jovens!

Patiluc